Quer uma viagem com muito verde, clima frio e romântico, esportes de aventura e, ainda por cima, ser muito bem tratado e ter tranquilidade? Vá para Monte Verde!

Baixas temperaturas, clima romântico e natureza privilegiada são praticamente sinônimos de Monte Verde. Cercada pelas montanhas da Serra da Mantiqueira, a estância fica a mais de 1.500 m de altitude e freqüentemente é chamada de Suiça brasileira. O charme da arquitetura local, a natureza, a estrutura turística e a gastronomia incentivam a comparação. Monte Verde tem belíssimas casas em estilo europeu, morros, pedras, picos, mais de 200 hotéis e pousadas, e inúmeros bares e restaurantes que encantam tanto pela simplicidade da comida mineira como pelo sofisticado foundue ou pelos exóticos pratos com carne de javali criados na região.

Os costumes trazidos pelos primeiros moradores, o casal letão Verner Grinberd e Emilia Grinberd, e pelos letões, alemães, suíços e italianos que foram chegando depois, também colaboram para o ‘ar europeu’ que se respira em Monte Verde. Mas a vila tem personalidade e sotaque próprio. A hospitalidade, por exemplo, é típica do povo mineiro. Basta ir a uma das casas de chá ou entrar em um dos pontos de venda de queijos e vinhos, localizadas na principal avenida da estância, para ter certeza que o clima pode ser suíço, mas o prazer em receber é do autêntico mineiro. Ninguém sai sem “provar um bocadinho”.

Acolhedora, Monte Verde recebe e agrada famílias com filhos pequenos, jovens em busca do ecoturismo e casais apaixonados. A geografia local colabora para essa união de interesses tão diferentes, pois atende tanto quem busca o turismo contemplativo, como quem não se contenta apenas em apreciar belas paisagens e quer interagir, explorar e “viver” mais emoções do que cabem em um álbum de fotos da viagem. Ou seja, Monte Verde oferece prazeres para quem só quer fazer uma boa caminhada pela manhã, saborear um strudell numa charmosa casa de chá, namorar à beira da lareira, cavalgar com as crianças e também para os adeptos do montanhismo e do radical rappel.

Tire o cachecol da gaveta e venha conferir! Por enquanto, saiba um pouco mais sobre Monte Verde, sua história, clima, atrações turísticas, como chegar etc.

A história de Monte Verde se confunde com a história de Verner Grinberg, que chegou com sua família ao Brasil em meados de 1916, durante a Primeira Guerra Mundial. Atraídos por uma companhia inglesa que explorava madeira, os Grinberg e outros imigrantes da Letônia, instalaram-se numa colônia leta, em S. José dos Campos. Em 1921 é formada a Colônia Varpa, que abriga o mais importante núcleo de imigração da colônia leta para o Brasil. Foi nessa colônia, próxima à cidade de Paraguaçu Paulista, que Verner Grinberg conheceu Emília Leismeir.

Em 1936, já casado com Emília, Verner e seu pai sobem até o pé da Serra da Mantiqueira, em lombo de burro, abrindo picada no meio do mato, em busca de um lugar chamado Campos do Jaguari, município de Camanducaia, lugar de clima e paisagens semelhantes à Europa. Em 1938 adquire terras na região e inicia a formação de uma fazenda. Com o passar do tempo, muitos de seus amigos e conhecidos começaram a sentir atração pelo lugar. Aos amigos e parentes, geralmente europeus e adeptos de sua religião, a batista, cedia terreno para que construíssem casas e viessem morar na fazenda, hoje Monte Verde. A partir de 1950, Grinberg começou a fazer loteamentos de suas terras e a investir na infra-estrutura da vila. Atualmente, Grinberg, nascido em 1910, e sua esposa, Emília, moram em Bragança Paulista, no interior de São Paulo.